segunda-feira, 8 de outubro de 2012


Gonçalo M. Tavares

O Senhor Kraus

[excerto]

Haviam oferecido ao Chefe (novamente) um mapa do país – já era para aí o quinto ou o sexto. Os anteriores ele perdera-os, ou apontara por cima palavras-chave para os seus discursos, ou assoara-se a eles ou colocara-os debaixo de uma garrafa de vinho para não sujar a mesa, enfim: o Chefe distraía-se. Tinha, no entanto, certos cuidados. Por exemplo: limpava todas as humidades e nódoas líquidas – vinho e outras substâncias – apenas com a parte do mapa que representava o interior do país – a zona mais seca.

Gonçalo M. Tavares (2005). O Senhor Kraus. Lisboa: Caminho. p. 45.

Sem comentários:

Publicar um comentário