sexta-feira, 15 de junho de 2012


Sophia de Mello Breyner Andresen

Liberdade

O poema é
A liberdade

Um poema não se programa
Porém a disciplina
—Sílaba por sílaba —
O acompanha.

Sílaba por sílaba
O poema emerge
—Como se os deuses o dessem
O fazemos

Fonte: Sophia de Mello Breyner Andresen (2004). Cem Poemas de Sophia. Paço de Arcos: Visão / JL, p. 98.

Sem comentários:

Publicar um comentário